quinta-feira, janeiro 29, 2015

MEUS CLICKS: NO PARQUE

O dia começou meio abafado. Um sábado. É assim que as coisas estão ultimamente: abafadas, sem que eu consiga respirar, com vontade de sentir aquela ventania de alívio e um eterno final de semana. Talvez a Mãe Natureza esteja se inspirando em mim para ficar tão instável como tem ficado. 

quarta-feira, janeiro 28, 2015

FOTOGRAFIA PARA INCIANTES #2: ISO, VELOCIDADE E ABERTURA

Continuando a série de posts sobre fotografia para iniciantes, caso você não tenha visto a primeira parte, basta clicar aqui, hoje vou falar um pouco sobre um trio mega importante: ISO, velocidade e abertura. Nas câmeras reflex, esses três itens são muito importantes e entender o que cada um representa é fundamental para você sair da função automática (P) e ir para a manual (M).

Abertura do diafragma
O diafragma é responsável por controlar a quantidade de luz que entra na câmera. Em ambientes muito escuros, costuma-se utilizar aberturas maiores; quanto maior a abertura, mais luz entrará e mais clara e desfocada a foto fica. As câmeras compactas não permitem muita alteração e por isso são tão escuras, já nas reflex você tem a possibilidade de comprar lentes claras - que por sinal são bem mais caras. A imagem abaixo exemplifica melhor a ideia de abertura.
Velocidade do obturador
A velocidade do obturador refere-se ao tempo que o diafragma vai ficar aberto pra que a luz entre na câmera. Em ambiente com pouca luz, o ideal é utilizar velocidades baixas, porém isso aumenta a sensibilidade da câmera e se você não utilizar um tripé ou algo para apoiar, suas fotos ficarão borradas. Desse modo, também não é recomendável para fotografar objetos em movimento, enquanto que em velocidades maiores, você consegue congelar a imagem. A velocidade é obtida em frações de segundos.
ISO
O ISO é a parte que eu considero mais fácil. Quanto maior o ISO, maior a possibilidade de fotografar em ambientes com pouca luz, porém é importante saber que com um ISO 3200, por exemplo, a foto vai sair granulada e com a qualidade um pouco ruim.
O site Exposure Guide fez esse gráfico e, para mim, foi a melhor forma de representação dessas três funções.
http://www.exposureguide.com/
A partir do momento que você entende a função de cada um desses itens, sua vida fotográfica fica muito mais fácil, pois você consegue encontrar um equilíbrio e tirar boas fotos mesmo nos ambientes mais escuros.
O mais importante é que você tente várias vezes e com configurações diferentes, porque, às vezes, sua foto sai com ruídos, mas ainda assim fica legal, sabe? Fotografia é algo muito pessoal ainda mais quando você faz por hobby e não deixe que comentários negativos te desanimem. Outra coisa muito importante, não só na fotografia: procure evoluir sempre. Não se conforme com um "bom" ou "legal", dê o seu melhor!

terça-feira, janeiro 27, 2015

DICAS PARA FOTOGRAFAR MELHOR COM O CELULAR

Assim como a câmera não faz o fotógrafo, o celular também não vai fazer milagre se você não tiver alguns cuidados na hora de fotografar com ele. Esse post é meio que utilidade pública, porque hoje em dia todo mundo tem um smartphone, mas não é qualquer foto que sai legal, então aproveite as dicas para tirar fotos melhores
1 - Prefira luz natural
Essa dica é válida não só para fotografia com celular. A luz natural é uma ótima aliada e com certeza suas fotos ficarão melhores com ela. Ainda que não tenha luz natural, tente! Vai que dá certo.

2 - Aproxime-se
Ao invés de ar zoom e perder a qualidade da sua foto, chegue perto daquilo que você quer fotografar.

3 - Segure firme
Nada de tremedeira, qualquer movimento brusco e sua foto sai tremida e sem foco. Se for possível, apoie em algum lugar.
4 - Tente um ângulo diferente
Ao invés de fotografar de frente, por que não tentar de cima? E de lado, de baixo...

5 - Cuidado com o fundo
Procure sempre um fundo mais clean para que não tenha muita informação e o assunto não ser confundido ou levar o olhar das pessoas para outras coisas.

6 - Não exagere nos filtros
Existem vários aplicativos de fotografia, mas você não precisa utilizar todos eles em apenas uma foto e nem sempre o mesmo filtro vai ficar legal em todas as fotos, então, use com moderação.

7 - Tente em preto e branco
Eu amo P&B, às vezes a foto fica legal, mas ficaria muito mais interessante com um filtro preto e branco.
E por último, não fique só na primeira foto. Pratique sempre e abra sua mente; livre-se de rótulos e não tenha vergonha!

segunda-feira, janeiro 26, 2015

Song of the Week: Caravan - Whiplash


Whiplash é o tipo de filme que você assiste e torce para que tudo dê certo. É tipo a vida real. Fora a parte musical, que é incrível, tem toda a persistência do Andrew. É o sonho dele e ele faz de tudo para alcança-lo, até levantar numa boa depois de um acidente de carro; sem falar que o Terence Fletcher, por maior que seja a grosseria, ele sabe que o ser humano tem um grande potencial e pode fazer coisas maravilhosas, talvez ele só não tenha escolhido o melhor caminho para mostrar isso aos alunos.
A música faz parte da trilha sonora do filme é se chama Caravan, escolhida porque segunda-feira merece começar ao som de música boa e alegre.



BOA SEMANA!

sexta-feira, janeiro 23, 2015

FILME | Albergue Espanhol - 2002

Albergue Espanhol é um filme francês de 2002 e conta a história de Xavier, um jovem que está se formando em Economia e se vê diante de um grande problema: morar em Barcelona sem saber falar espanhol. O motivo da mudança é um emprego que um amigo de seu pai conseguiu, mas para isso ele precisa deixar sua namorada, Martine, para trás e se adaptar a uma vida totalmente nova. Chegando à cidade, ele vai morar em um apartamento junto com outros sete estudantes.

Eu não sei como é a vida dos jovens europeus, então não posso afirmar, mas li em alguns sites que o filme é um retrato da vida dos jovens independentes da cidade. O albergue é dividido por pessoas de culturas diferentes, com experiências de vida diferentes. O Xavier é uma pessoa tímida e que tenta descomplicar ao máximo a própria vida, mas acaba se envolvendo em uma série de problemas, desde se envolver com uma mulher casada até descobrir a própria identidade.

É uma história bem tranquila e enfatiza bem as reflexões do Xavier e o que ele pensa sobre conviver em contexto diferente do que está acostumado. Acredito que é uma forma de mostrar o que o ser humano é: uma verdadeira metamorfose, capaz de se adequar a situações diversas; e sobre como é tornar-se adulto. Às vezes é preciso uma mudança bem radical para que isso aconteça, além de não ficar apenas nos problemas do Xavier. Nessa cidade tão longe da que cresceu, ele vai se descobrir e amadurecer. 

O filme não tem intenção der uma comédia, mas as situações são tão reais que não tem para onde fugir. Ele faz parte de uma trilogia; os filmes seguintes são Bonecas Russas e Enigma Chinês que falarei em breve. Acho um ótimo filme para quem que fugir um pouco de Hollywood.

quinta-feira, janeiro 22, 2015

Maze Runner: Correr ou morrer - James Dashner

Esse livro eu li ano passado, até citei na tag que respondi, e acabei esquecendo de falar sobre ele aqui no blog. Esqueci mesmo, não sei por quê cargas d'água, pois se trata de um ótimo livro. 
Tudo começa com Thomas acordando dentro de um elevador escuro se movimentando; ele não lembra de nada, nem o próprio nome. Quando o elevador finalmente para, ele se vê entre vários garotos que o apresentam à Clareira, nome do lugar onde eles estão. É um lugar aberto, rodeado por enormes muralhas e ninguém sabe como foi parar ali, a única coisa que sabem é que todas as manhãs duas enormes portas se abrem dando acesso a um labirinto. Thomas descobre que suas perguntas não serão respondidas facilmente. No dia seguinte, algo muito estranho acontece: uma garota chega à Clareira, desmaiada e com uma mensagem na mão que mudará completamente o rumo das coisas. 
A história é intrigante do início ao fim, pois a todo instante você se pergunta, assim como Thomas, o que é tudo aquilo e fica procurando um sentido em tudo o que acontece. Nos momentos iniciais , eu cheguei a ficar bem irritada, porque eu não conseguia entender o que estava acontecendo e acho que me senti na pele do Thomas, sem resposta alguma. Mas o pior eu não sabia que ainda estava por vir. 
Eu já li muitos livros nessa minha vida e confesso que, até então, eu nunca tinha sentido uma mistura tão grande de sentimentos e, cara, teve partes que eu precisei ficar em pé e pulando igual louca falando CARACA, CARACA, CARACA!! Não sei se aconteceu algo assim com outras pessoas, mas comigo aconteceu e, a cada página, a ansiedade aumentava, porque você não sabe o que diabos são aqueles Verdugos, o que significa C.R.U.E.L. e até onde eles conseguirão ir dentro do labirinto. Aliás, o que é aquele labirinto??
Quando a história vai chegando ao fim, é muita tensão, porque termina de uma forma que você sabe que vai morrer se não começar logo o segundo livro. Nos segundos finais você percebe que não tem nada resolvido e que a história está apenas começando. Enfim, é uma história bem diferente e sem dúvida vai prender sua atenção.
Com relação ao filme, algumas coisas são bem diferentes, mas o filme é muito bom também. A ideia do livro permanece, mas muitos detalhes foram alterados, como o buraco dos Verdugos, por exemplo, que não vou falar como é a diferença para que você veja com seus próprios olhos. Achei que o Dylan O'Brien representou muito bem o Thomas e achei o restantes das atuações muito boas. E achei o Chuck fofinho!
Então é isso. Assistam o filme e leiam o livro, na ordem de preferência, pois são maravilhosos e aguardem, pois em breve falarei sobre Prova de Fogo, o segundo livro da saga.

quarta-feira, janeiro 21, 2015

Na internet nada se cria...

...tudo se copia, já dizia o velho ditado, que nos ronda há séculos. No início do ano, quando conheci as gatas do 7 on 7, nós tivemos a ideia de participar, também, de um projeto chamado The Way We Dess feito por algumas blogueiras nas quais tínhamos muita admiração. Acontece que uma coisa que poderia ser motivo de orgulho por ter inspirado outras pessoas, se tornou a situação mais baixa que eu já vivenciei nessa blogosfera. Como não havia nada em nenhum dos posts que dissesse que era um projeto criado por elas imaginamos que era mais um projeto comum na internet. Engano nosso. Fomos chamadas de cara de pau, nos acusaram de ser hipócritas, pois TODO MUNDO conhecia o projeto DELAS e, claro, elas ainda estavam no total direito de gritar e xingar. Sabe aquelas crianças no meio do shopping dando birra? Tipo isso. As meninas do nosso grupo que postaram os looks receberam uma enxurrada de comentários maldosos.
O motivo de eu escrever esse texto é que ontem mesmo, eu aprendi duas coisas muito importantes: 
1 - Muito legal saber quem são, realmente, as blogueiras que eu acompanhava;
2 - Educação faz toda diferença.
Atualmente existem milhares de projetos na internet que um dia foi criado por alguém. O TWWD é um projeto bem bacana, que aliás, a ideia do post já é praticada por muitas pessoas. Quem aí nunca viu um post do tipo TRÊS LOOKS USANDO SHORT. Gente, um nome não faz de outra blogueira uma ladra. 
Não só em blogues de moda, mas quantos projetos não já foram "copiados"? Quem criou o "look do dia" deveria buscar seus direitos e xingar todo mundo que copia que o título. A Melina Sousa deve enlouquecer todos os dias, porque ela tem ideias geniais e, cara, impossível não querer fazer igual. A Luh Testoni do blog Primeira a Esquerda criou um projeto PESSOAL e, apesar de todos os avisos, ainda há criatura fazendo também. Nunca vi a garota xingando quem copiou. Você percebe que ela tem maturidade suficiente e é uma pessoa educada. Faz muita diferença isso. 
O fato é que na internet há muitas ideias copiadas e se você não cita no seu projeto que ele foi criado por você e mais seis garotas, fica complicado os outros fazerem qualquer referência. Em momento algum dissemos que o projeto foi criação nossa e mesmo que nossa intenção tenha sido boa, ela não foi vista assim; fomos acusadas e xingadas de forma desnecessária. Eu tenho direito de ditar o comportamento delas? Não! Assim como não posso salvar o mundo. 
Por fim, gostaria de deixar o texto da Loma do blog Sernaiotto onde ela fala sobre cópia de posts e atitudes a serem tomadas.

UPDATE: Fiz questão de olhar todos os posts da criadoras do projeto para me certificar de que não havia nada sinalizando que havia sido criado por elas.

terça-feira, janeiro 20, 2015

Planner Fevereiro e Lista de Tarefas Diárias

Que tal começar o dia se organizando? Eu falei no post sobre metas para o ano, que ser uma pessoa organizada, seria uma meta de vida, para isso eu decidi fazer um planner e uma lista de tarefas diárias para facilitar. Procurei bastante em alguns sites, mas não encontrei nada legal e, geralmente, de 2014, então decidi eu mesma botar a mão na massa, fazer e ainda disponibilizar aqui para download. Sou legal, né? 
No planner, você tem a visão do mês completo, com espaço para marcar aquilo que deseja priorizar. É uma forma legal de se programar; e ainda marquei os dias de feriado. 
A lista de tarefas diárias é um meio de você anotar tudo o que precisa fazer naquele dia. Eu costumo anotar no dia anterior, mas você escolhe a melhor forma. Como não coloquei mês, você pode imprimir várias para o mês todo e para atividades diversas.
Antes, eu anotava tudo em um caderno e funcionou bastante, mas decidi fazer essas listas, porque eu acho bem mais prático. Eu guardo tudo em uma pasta transparente, mas estou pensando em comprar uma prancheta dessas de papelaria, acho que fica legal também.
Já tentei todas as formas possíveis de anotações: aplicativos, Evernote, post-it; até talvez eu seja muito à moda antiga, anotar me faz lembrar.
Clique para baixar o Planner de Fevereiro e a Lista de Tarefas do Dia

segunda-feira, janeiro 19, 2015

Meme: 15 coisas para fazer em 2015

Ainda dá tempo para falar sobre as metas do ano né? Às vezes acho que, ou o ano é muito curto para tanta meta ou eu tento fazer tudo ao mesmo tempo e não consigo fazer nada. Por esse motivo, decidi que não vou traçar metas incompatíveis com minha situação atual, vou buscar coisas que eu são realmente possíveis. Então, em 2015 eu quero:
1 - Aproveitar mais o dia para que eu não fique com a sensação de que não consigo fazer nada
2 - Ser uma pessoa organizada. É uma meta de vida, na verdade
3 - Estudar, porque nunca é demais
4 - Escrever mais e não deixar que as ideias fiquem só dentro da cabeça
5 - Ter mais calma em todos os sentidos. Não comecei o ano praticando, mas vamos fazer de conta que começa agora
6 - Colocar mais dedicação em tudo. Se é para fazer, que faça direito
7 - Aproveitar as oportunidades, pois acho que não aproveito e elas passam
8 - Rir mais. É o melhor remédio e tem que ser
9 -  Ler todos os livros da estante, porque não aguento mais eles me encarando
10 - Reclamar menos e agradecer mais
11 - Deixar a preguiça de lado. Alguém me diz como?
12 - Voltar a ser mais segura e confiar mais em mim mesma
13 - Publicar um  e-book sobre fotografia e isso está mais perto do que longe
14 - Divulgar o blog, mas ainda não sei se tenho coragem
15 - Poupar. Já chega de compras desnecessárias!

Esse post faz parte da proposta do Rotaroots, um grupo de blogueiros que buscam resgatar a época de ouro dos blogs. Sem regras, sem clichês e com muito amor!

Song of the Week: It's time - Imagine Dragons

Ouvi Imagine Dragons pela primeira vez há alguns meses, enquanto navegava em um blog que não lembro mais qual é. Desde então, ouvi bastante e essa música entrou para a minha lista de preferidas. Tem uma letra bem bonita.

Boa semana!

quinta-feira, janeiro 15, 2015

TAG: Meus livros!!! Ninguém Sai!!

A Cíntia me desafiou a responder essa TAG e eu quase morri de rir do nome e das perguntas, porque né? Demorei séculos para responder, mas aqui estou.

1. “Ei coisinha, vá devagar”: Sabe aquele livro que você devorou rapidamente? Qual foi ele? 
Li esse livro em um dia e meio, porque ele é incrível e não tem como não amar a ideia da autora, sem contar que é muita emoção em cada página. Tem post sobre ele.

2. “Eu vou me segurar aqui”: Qual livro te prendeu?
Os livros do Kafka, que li até hoje, são impossíveis de largar. Não há como não ler desesperadamente, como se não houvesse amanhã, mas A Metamorfose é tão surreal que me prendeu do início ao fim.

3. “Se eu cair eu quebro a minha clavícula”: Qual obra te desestabilizou emocionalmente?
Quem já leu sabe o que esse livro é capaz de fazer com nossos sentimentos. É muita surpresa. Tem que ter nervos de aço.
4. “Meu óculos, ninguém sai!”: Qual livro você não empresta ou tem muito ciúmes?
Não peça se não estiver afim de ouvir um não como resposta. Não empresto e nem adianta! Aliás, não peça nenhum, ta? rsrs
5. “Cíntia, você viu meu óculos?”: Qual livro você emprestou e nunca mais viu na vida?
Aqui eu poderia dizer apenas TODOS. Fora os que empresto para minha irmã e meu sobrinho, os outros foram para nunca mais voltar e aliás, gostaria de fazer um apelo a todos aqueles a quem emprestei, humildemente, meus livros: devolve?
6. “Cíntia tá des-mai-ada!”: Qual livro te deixou com ressaca literária, sem poder ler outros livros?
Quando cheguei ao fim, disse a mim mesma que não haveria, no mundo, livro igual e por isso eu não iria ler mais nada. Acho que As Crônicas de Nárnia deveria ser um livro eterno.
7. “Shamuchamochamu chama o Samu!”: Que livro te deixou louco pela continuação? 
Sim, tem continuação. Mas eu sou um ser super irresponsável e coloquei outros na frente, mas estou louca para saber o que vai acontecer com nossos sobreviventes e o que realmente aconteceu com o mundo. São tantas perguntas... 
8. “Eu errei, viu?”: Escreva aqui um pouco sobre aquele livro que você achou que seria uma coisa e é outra!
Na verdade, quem errou foi quem disse que eu PRE-CI-SA-VA ler esse livro por ele ser o melhor livros do Sidney Sheldon. Fui com a maior sede e, sinceramente, a história foi toda tão sem emoções - para o melhor livro do Sidney Sheldon -  que eu tenho é raiva dele. Outras obras do autor mereciam o título de melhor livro.

Como não conheço muitas pessoas com blog para responder, sintam-se tagueados e, caso o façam, me avisem, pois adorei a tag.

quarta-feira, janeiro 14, 2015

FOTOGRAFIA PARA INCIANTES #1: ESCOLHENDO A CÂMERA

Desde que comprei a minha câmera (Canon T3) muitas pessoas do meu circulo social me pedem dicas diversas sobre fotografia, e a pegunta mais comum é QUAL CÂMERA EU COMPRO? O problema é que a maioria acha que o preço e a quantidade de megapixels é tudo o que importa. Por isso decidi começar uma série de posts para quem está se interessando por fotografia e não sabe muito bem por onde começar e também para esclarecer que algumas coisas não são tão importantes quanto a maioria pensa. Como a pergunta acima é muito frequente, decidi começar falando sobre como escolher sua câmera. Alguns pontos precisam ser levados em consideração antes de você gastar muito dinheiro de forma desnecessária.
1 - O que você quer fotografar?
Essa é a primeira pergunta mais importante que você precisa se fazer. Você quer fotografar a família? Fotografar passeios? Amigos? Quer fotografar profissionalmente? Fotografar paisagens? Se você quer fotografar algo mais familiar e com boa qualidade, para as redes sociais por exemplo, hoje o mercado oferece mil possibilidades com as câmeras compactas. Elas são pequenas e fáceis de carregar, de forma discreta e ainda vêm com as configurações prontas para você clicar, além de serem bem mais baratas.
Mas se você quer um pouco mais de suas fotografias, mas não sabe muito bem como é a função manual, sugiro as câmeras de entrada para que você possa se familiarizar. As câmeras de entrada são aquelas que trocam as lentes e também permitem que você tenha controle sobre o ISO, exposição, obturador e outras funções de forma manual. são as chamadas DSLR (Digital Single-lens Reflex). Tanto para que gostaria de ter a fotografia como hobby quanto para aqueles que pretendem ganhar algum dinheiro fotografando de festas infantis a casamentos, eu indico as câmeras de entrada e conforme a sua necessidade for evoluindo você conseguirá escolher melhor a sua próxima câmera.

2 - Quanto você está disposto a gastar?
Como eu disse no tópico anterior, as câmeras compactas são bem mais acessíveis e você encontra câmera de 18MP por menos de R$400. Já as câmeras DSLR são bem mais caras e ainda tem os acessórios que custam bem caro. Às vezes a câmera custa R$1.500, as mais baratas, e uma lente boa sai em torno de R$2.500, por isso você precisa pensar antes da compra. Mais para frente, vou falar sobre lentes e acessórios.

3 - Quantos megapixels?
Megapixel nada mais é do que o tamanho da foto, quanto mais MPs, maior é a resolução da foto. Isso é importante no caso de você querer imprimir essas fotos, sendo que com 5mp você consegue uma imagem bem nítida. Nas câmeras semi-profissionais isso não influencia tanto, pois você tem a oportunidade de trocar as lentes e elas sim fazem muita diferença.

Para mim, esses são os três maiores pontos a serem considerados e o que a maioria dos fotógrafos defendem é que a câmera não faz o fotógrafo. Então independente da sua câmera, o mais importante é a sua criatividade, pois você pode ter uma câmera de celular e tirar fotos incríveis ou você pode ter uma 5D e tirar fotos nada legais.

Reveja suas necessidades antes de fazer um grande investimento, porque caso você compre uma câmera semi ou profissional sem intenção alguma de estudar suas funções, você pode se frustrar, da mesma forma que não adianta nada se você não sair do automático.

Esse é o primeiro post sobre fotografia básica; aguardem, pois ainda vem muito por ai.

Não sou fotógrafa profissional e esse post é baseado em experiências minhas e é algo que eu gostaria de ter lido antes de comprar minha câmera. Sinta-se a vontade para expor sua opinião.

terça-feira, janeiro 13, 2015

Audiolivros + onde ouvir/baixar

Recentemente, peguei o hábito muito legal de ouvir audiolivros. O nome é autoexplicativo, mas para quem não sabe, audiolivros são livros em formato mp3 que geralmente são gravados em estúdio e seguem o livro físico. Também são conhecidos como livro falado e audiobooks. Faz alguns meses que eu estou com tempo sobrando para diversas atividades, mas nem sempre foi assim e não será assim por muito tempo; de qualquer forma, existem alguns horários do dia em que eu gostaria de estar lendo, mas preciso, por exemplo, lavar louças, limpar a casa, arrumar meu quarto e é exatamente aí que entram os audiobooks. 

Pesquisei alguns aplicativos que estão me auxiliando bastante na busca por novas histórias e também sites na internet que disponibilizam de forma gratuita ou paga. Dos aplicativos que encontrei, estou usando dois, entretanto, como meu celular é um iPhone, não tenho como indicar aplicativos para Android, já que não testei nenhum.

1 - LibriVox Audio Books: Ele oferece diversos títulos, em sua maioria, clássicos da Literatura Brasileira, mas o acervo é ainda pequeno em comparação a outros.
2 - Audiobooks: Esse tem bem mais obras, mas em inglês. O legal desse app é que além do áudio, você ainda tem a transcrição, o que é ótimo para quem quer treinar o listening.
Tem ainda o Audiolivros da Audible, que tem vários livros atuais em inglês, mas esse eu não testei direito e o Audiolivros HQ Grátis, que apesar do nome, não tem HQ, pelo menos não na versão gratuita, mas ainda assim oferece diversos títulos em vários idiomas.

É importante lembrar que não abandonei os livros de papel, trata-se de uma nova forma de aproveitar mais o meu tempo com algo realmente útil. Claro que em algumas situações o livro falado substitui o papel, que é o caso de pessoas com deficiência visual, mas também é muito bom para quem não gosta muito de ler e ainda assim gosta de ouvir histórias.

Acredito que é uma forma de levar a leitura para vários públicos, sendo que também é extremamente útil para aprendizagem de novas línguas, como o inglês. Caso você não queira ou não tenha como ouvir pelos aplicativos no celular, tem ainda a possibilidade de baixar na internet e ouvir pelo computador ou qualquer dispositivo que leia o formato mp3, que nem preciso citar, pois hoje em dia existem vários.

Espero que gostem e, mais ainda, espero que aproveitem, pois é sempre bom ouvir uma história nova e conhecer clássicos da Literatura mundial!  

segunda-feira, janeiro 12, 2015

Song of the week: Nothing's Gonna Stop Us Now - The Skeleton Twins

Assisti esse filme chamado The Skeleton Twins e achei um filme lindo. Não há como descrever o que se torna o relacionamento desses dois irmãos gêmeos separados há dez anos -  por vontade dos dois. Eles se tornam mais do que amigos e na verdade são parte um do outro. Acho que o Milo salva a Maggie quando ele tenta o suicídio, assim como ele a salva nas outras tentativas. Talvez eles tenham encontrado um no outro, aquilo que perderam quando o pai se matou e quando a mãe os deixou ao léu. Ao menos eles estão tendo a chance de reparar o tempo que ficaram longe.
A música que eu escolhi para essa semana tem tudo a ver com eles, que, mesmo se nada der certo e com tudo ruindo ao redor, eles ainda têm um ao outro. Provavelmente não há sensação melhor!


Boa semana!

sexta-feira, janeiro 09, 2015

FILME | Magia ao luar (2014)

Considerados um dos filmes mais fracos do Woody Allen, Magia ao Luar, para mim é ainda melhor do que muitos filmes considerados bons. Assim como a maioria das pessoas pensa acerca de Allen. Ele nos leva a refletir se o artista é mesmo alguém com um dom ou se é um mero enganador; eu particularmente nunca acreditei na maioria dos "dons" que vejo por ai. No filme em questão, Stanley é levado a questionar suas crenças após tentar desmascarar a jovem medium Sophie. Stanley é um célebre mágico conhecido como Wei Ling Soo, que quando não está atuando é um homem totalmente cético e costuma desvendar os mistérios por trás das mágicas alheias, mas quando se depara com o talento de Sophie, uma americana apresentada pelo seu grande amigo Howard, ele deixa de lado tudo aquilo em que sempre acreditou e afirma diante da mídia que esteve errado durante todo o tempo.
A princípio me perguntei se ele se apaixonaria pela linda Sophia e, só assim, passaria a acreditar nela, que era um grande desafio para ele, depois achei que não haveria romantismo e o desfecho foi um tanto surpreendente, quem imaginaria que Howard faria o que fez e que relacionamento de Stanley e Sophie seguiria como seguiu.
De fato Stanley mudou de alguma forma e mesmo seu imenso amor próprio ficou de lado e deu espaço a algo mágico, digamos assim. 
Mais uma obra incrível e, nem preciso dizer inteligente, de Woody Allen que deixa o romance exagerado de lado para dar atenção a outros temas e ele faz isso muito bem. É uma reflexão sobre questões da vida. Você acredita ou não acredita? Eis a questão!


"Nascemos e, apesar de não termos cometido nenhum crime, somos condenados à morte!"

quinta-feira, janeiro 08, 2015

Minha história com a fotografia

A minha história com a fotografia é bem mais antiga do que vocês devem imaginar. Ela sempre fez parte da minha vida de uma forma ou de outra desde quando eu era obrigada a tirar ótimas fotos em apenas doze oportunidades. Pois bem, aqui em casa, temos mil fotos da época em que precisávamos revelar o filme e tudo começou por ai. Em todas as datas comemorativas, minha mãe fazia questão de registrar cada momento. Nesse tempo, eu já gostava de posar para as fotos e achava o design das câmeras muito bonito, convenhamos, as câmeras antigas são lindas.
A minha primeira câmera foi uma Breeze Cam e eu comprei em 2006 quando fazia estágio, foi a primeira grande compra da minha vida. Eu estava no 2º ano do Ensino Médio e minhas amigas adoravam fotos, então já dá para imaginar que nós fotografávamos cada intervalo e cada horário vago. O Orkut e o Flogão bombavam. O mais legal é que a câmera era bem pequena e dava para levar para a escola com toda a discrição do mundo. O problema é que a câmera não tinha memória interna e se eu retirasse a pilha, todas as fotos eram deletadas. Ah, e só cabiam 25 fotos com uma qualidade razoável de 1.3MP. Essa câmera quebrou tanto galho e registrou os melhores momentos dos dois últimos anos da escola.
A segunda câmera da minha vida, infelizmente não a tenho para mostrar aqui, mas foi uma Mirage Ace de 5MP e eu não lembro muito bem, mas acho que comprei em 2009, mas fiquei com ela pouco tempo, porque ela era realmente muito ruim e chata para mexer, então logo enjoei e passei para a Sony Cyber-shot de 12.1MP. Essa foi a grande companheira e a coisa mais cara que eu já tinha comprado até então. Nessa época, uma câmera de 12 megapixels custava em torno de R$900 e quem tinha tudo isso de megapixels, era rei/rainha do pedaço e eu me achava. Toda aquela qualidade de imagem e várias funções que me permitiam diversas possibilidades era uma coisa incrível. Ela me acompanhou em muitas jornadas, foram três anos incríveis que me fizeram querer mais. 
No início de 2012 eu decidi que queria algo mais avançado e queria poder controlar as funções da câmera nas minhas fotos. Me apaixonei pela Canon T3i, porque era a câmera das blogueiras, mas o limite do meu cartão de crédito não me permitiu um investimento tão alto e acabei comprando a T3. Desde então, registrar as minhas emoções em cada fotografia, se tornou um amor ainda maior e a cada dia sinto mais vontade de sair do meu quadrado e fotografar o mundo. Sonhar não faz mal.
Fora as minhas câmeras, ainda tive vários celulares que também me permitiram registrar momentos incríveis. Agora também conto com uma Instax Mini 8 (rosa) e uma Diana que ainda não pude testar.
Até agora, a minha câmera está em ótimas condições e atende a todas as minhas necessidades, mas nunca se sabe, talvez amanhã eu queira uma mais avançada e com mais funções, não é mesmo?

Editado: Nem me toquei que essa postagem foi ao ar justo no dia do fotógrafo (08/01), por isso, parabéns a todos os fotógrafos que fazem do mundo um lugar melhor!

Para onde ela foi - Gayle Forman

Se você não leu Se Eu Ficar, não recomendo a leitura das próximas linhas, pois pode conter spoiler.

Desde o final do livro Se Eu Ficar, passaram-se três anos e Mia e o Adam estão separados. Pois é, muita coisa aconteceu e apesar de toda a fama, Adam continua ligado, sentimentalmente, à Mia. O livro dessa vez é narrado pelo Adam, e assim como no primeiro, ele se divide em coisas atuais e flashbacks sobre como foi sua vida durante os três anos em que ficou longe da Mia.

A Shooting Star alcançou uma fama imensa e está no topo do iTunes, e isso afetou diretamente o relacionamento dele com os outros integrantes da banda e com a mídia. Ele está morando com sua nova namorada e vem uma turnê com a banda. Mia é uma violoncelista muito admirada pelo público e também está entrando em uma turnê. O relacionamento dos dois é abafado e quando questionado, dizem que foi apenas um namoro de colégio.

Fiquei muito apreensiva com no início, porque eu nunca sabia o que viria pela frente e estava louca para saber detalhes de como a Mia se recuperou; eu tinha certeza que eles estariam juntos durante a recuperação dela, mas foi bem diferente do que eu esperava e sabe do que mais? Foi bem melhor!

Eu odiei o Adam no primeiro livro e odiei a Mia agora, mas no final você acaba entendendo por quê ela deixou seu lindo namorado. Nunca imaginei que um dia ele deixasse, de certa forma, tudo para lá e ficasse naquela depressão toda por causa dela. Fiquei com dó dele. Sim, senti vontade de gritar, tadinho! Mas a verdade é que a Mia perdeu muita coisa e não seria o Adam a preencher esse vazio, ninguém é metade de ninguém, você não tem que se sentir completo apenas por estar com alguém e acho que foi isso que Gayle Forman quis dizer.

Foi uma loucura a forma como Se Eu Ficar terminou, eu precisei começar Para Onde Ela Foi no mesmo instante para não pirar de vez. O Adam realmente sentiu cada momento depois que foi deixado por ela e isso o tornou um astro do rock totalmente excêntrico, mas ele parece mais real do que outros personagens que já vi. É um cara que lutou para chegar onde chegou e acho que todo o sofrimento por que passou durante três anos e a falta de notícias sobre a Mia, compensou quando finalmente eles se resolvem.
É uma leitura bem tranquila, vale a pena!


Acompanhe-me nas redes sociais
Instagram | Flickr | Twitter | We Heart It | Tumblr | Skoob

quarta-feira, janeiro 07, 2015

7 ON 7 (JANEIRO)


No final do mês passado, aconteceu algo que eu não imaginava que se tornaria tão especial para mim. Conheci, virtualmente, seis lindas meninas que estão deixando os meus dias mais legais e fizeram com que um projeto que eu tanto queria fazer há tempos, finalmente, se tornasse real. A partir de agora, todo dia 7 eu e elas postaremos sete fotos, algumas com tema, outras não e como é o primeiro mês, decidimos fazer uma apresentação mostrando um pouco sobre cada uma de nós.

1 - Livros: Eu nem preciso dizer o quanto sou apaixonada por leitura; quis mostrar os livros para representar essa minha paixão e também como forma de mostrar meu lado estudioso. Sim, eu amo estudar.
2 - Cadernos: Sinto uma necessidade enorme de escrever, não só digitar, mas escrever mesmo. Sou uma pessoa a moda antiga, gosto de manter bons e velhos hábitos.
3 - Games: Eu amo Super Mário Bros e a Nintendo. Gostaria de ter um console de cada, mas ainda não deu HAHAHA, e também adoro video-game, mas é uma pena que eu seja péssima em qualquer jogo, até mesmo no jogo da vida (essa foi triste hahahah)
4 - Fotografia: Ela me inspira e é algo que faz parte de mim. Desde muito tempo eu tenho amor pela fotografia, então esse item, por mais óbvio que seja, precisava entrar no projeto, é dela que muitas vezes tiro minha inspiração para muita coisa.
5 - Séries: Eu sou apaixonada por séries e a única coisa em que consegui pensar para mostrar isso era fotografando o Finn, novo membro da família. Adventure Time <3. Mas o que me fez gostar de séries é o fato de eu odiar TV aberta, não consigo.
6 - Paisagens: Adoro paisagens e adoro fotografá-las para nunca mais esquecer. Elas me transmitem paz e calma e também me inspiram, mesmo que seja para ouvir uma música.
7 - E por último, essa sou eu. Milca. Ansiosa, estressada, sonhadora, quase sempre solitária, tenho planos, objetivos e digo que é um prazer participar desse projeto com vocês!


Confira as fotos das lindas 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...